Um mundo diferente é possível

Sonhamos com herdar um mundo melhor e queremos contribuir com todo o que esteja em nosso alcance para molda-ló. Por isso, nosso objetivo é conhecer a aqueles que já estão trabalhando na pesquisa de alternativas ao sistema de consumo atual, o qual já é insustentável desde o ponto de vista ecológico, humano e econômico. Queremos apertar a mão de essas pessoas, aprender deles e divulgar seus sucessos e anelos.

Sonhamos com recorrer as veias abertas do continente, para ver quais ainda estão sangrando, quais tem cicatrizado e saber como podemos evitar que mais delas sejam abertas.

Acreditamos que a chave fica em voltar às raízes, em recuperar as conexões naturais perdidas. De lá que desejamos visitar as comunidades aborígenes para aprender sobre nossos ancestrais e contribuir a entesourar seu conhecimento.

Aspiramos a compartilhar informação e propor debates que nos ajudem a compreender quais são os obstáculos que param a evolução, já seja nos âmbitos acadêmicos das grandes cidades ou nas ruas de terra dos povos mais afastados.

Em poucas palavras como diz o escritor Eduardo Galeano, procuramos uma utopia que é como o horizonte: nunca poderemos alcançar lá, mas estamos em constante movimento para ela.

 


 

A idéia original

O objetivo inicial foi documentar um recorrido do pólo norte ao pólo sul do planeta, de lá que veio o nome do projeto. Porém com o tempo a ideia foi mudando para um plano mais sócio-antropológico. O anelo de tocar os dois extremos do planeta ainda existe, mas nao nos tira o sono. O importante nao e chegar, senão andar, ficar, compartilhar…

 


O projeto audio visual

Após de ter pouca experiência em cine, somos amantes do sétimo arte e confiamos em explodir os conhecimentos adquiridos no plano jornalístico e psicossocial, para misturar teoria e criatividade. Cremos no poder da informação como ferramenta do desenvolvimento e arma de defesa, esperamos utilizar duas sem fins lucrativos.

 


Na procura das raízes

Pela nossa experiência nas comunidades indígenas do México, soubemos do risco em que se encontra a bagagem cultural dos povos originários. Vamos fazer o possível para documentar suas historias, línguas e tradições.

 

 


Aldeias Infantis SOS

No 2007, conhecimos ao Damián Alejandro López, Jamerboi, quem no 44 meses recorreu do Alaska até Argentina… de bicicleta! Ele também tinha sua meta pessoal de pedalagem mas encontrou nas aldeias infantis SOS a forma de dar um maior coração a sua viagem. O trabalho que estas aldeias fazem pelos meninos em situações de risco é inspirador e queremos aportar nosso grãozinho de areia para que o mundo os conheça.


Projeto Venus

Outro personagem que inspira nós é Jacque Fresco e seu Projeto Venus. Fresco tem trabalhado a maior parte da sua vida desenhando uma sociedade alternativa, sustentável e inteligente. Promove a necessidade de uma economia baseada nos recursos que permitam explodir ao máximo o potencial da tecnologia para satisfazer todas as necessidades da humanidade, em harmonia com o planeta. A ciência em cima da política como primeiro passo para a evolução. O movimento é mundial e tem presencia em todo o continente, assim que vamos procurar nos encontrar com as pessoas que tem se comprometido com ele.


Biblioteca itinerante

O conhecimento é poder. Com a inspiração do arma de destruição massiva do Raúl Lemesoff e no Biblioburro do Luis Soriano, é que apostamos na socialização do conhecimento. Se você tem um livro que quer compartilhar, nós levamos a que mas o precise!

 


Compartir el arte

Creemos que el arte, en cualquiera de sus manifestaciones, es una forma de acercar a los pueblos. Por eso, a lo largo de la ruta, queremos compartir nuestras aptitudes artísticas, llevar un poquito de la riqueza del folklore mexicano y nuestros primeros pasitos en las acrobacias circenses a los niños del continente. Compartir, aprender, asimilar y transmitir.

 


CS sobe rodas

A maneira de devolver um pouco do muito que Couch Surfing tem dado a nós, as portas do nosso lar móvel estarão abertas para os viajantes desta comunidade que sempre estão nos recordando que dinheiro não é tudo. Surfers do América: esperem por nós!
 


Uma sociedade livre

Inspirados no Manifiesto Remix: 1) A cultura sempre se constrói baseada no passado, 2) O passado sempre tenta controlar o futuro, 3) O futuro está virando menos livre, 4) Para construir sociedades livres é preciso limitar o controle desde o passado. Tentamos divulgar as limitações do Copyright e fomentar el Creative Commons, el Copyleft e o Fair Use. Todo o material aqui postado fica regulado nestas premissas.